Recrutamento e Seleção na área de Educação

Você está preparado para o Blended Learning?

0

Você já ouviu falar em Blended Learning? Não? Mas com certeza já ouviu falar em blender, aquele eletrodoméstico usado para fazer sucos, bater massa de bolo e misturar ingredientes de receitas culinárias em geral — no Brasil, ele é mais conhecido como liquidificador.

Mas o que liquidificador tem a ver com sala de aula? Tem tudo a ver. Assim como na cozinha a gente mistura laranja, morango e gelo para fazer uma bebida refrescante, a tecnologia tem refrescado cada dia mais os métodos de ensino-aprendizagem ao incorporar-se a eles de forma inovadora.

No post de hoje, vamos apresentar o Blended Learning e mostrar como você pode, sem dor de cabeça, fazer uso dessa abordagem.

O que é o Blended Learning?

Também conhecido como Ensino Híbrido, o Blended Learning é um conceito muito simples e por isso abre muitas possibilidades. Ele consiste na mistura de elementos presenciais e não-presenciais na metodologia de ensino. Ou seja, parte das atividades ou dos agentes se encontram na sala de aula e outra parte não, criando um contexto semipresencial.

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo: você precisa organizar uma feira de profissões na sua escola. O intuito é que os alunos vejam um pouco do trabalho de várias áreas, mas sem abrir mão de uma semana inteira de aulas com visitas em consultórios, escritórios, universidades e etc. Como a abordagem do Ensino Híbrido pode ajudar?

Basta combinar (a) os alunos num auditório ou sala de projeção (elemento presencial) numa videoconferência com (b) o palestrante convidado em seu local de trabalho (elemento não-presencial), mostrando suas ferramentas, seu dia a dia, etc, e tirando as dúvidas dos alunos online pela câmera do celular — quem diria que o celular poderia ser uma ferramenta educativa, não é?

Esse é um exemplo de interação síncrona, ou seja, tudo acontece ao mesmo tempo: enquanto o engenheiro mostra a linha de montagem, os alunos assistem ao vivo na escola e podem até fazer perguntas. Além disso, também são possíveis interações assíncronas.

Outro exemplo: você quer que os alunos aprendam sobre as diferenças entre os processos de escravização de índios e negros na colonização do Brasil. Para isso, você os divide em dois grupos e disponibiliza diferentes conjuntos de texto para cada um para serem lidos em sala de aula (elemento presencial) enquanto você tira as dúvidas individualmente.

Em casa, os alunos terão uma semana para discutir com os colegas do outro grupo por meio de um fórum (elemento não-presencial) sobre os textos que leram. Cada dia da semana terá um assunto específico dentro do tema da escravidão no Brasil Colônia e uma lista de perguntas a serem respondidas a partir da discussão. Como a conversa se deu por escrito num fórum, ela pode ser recuperada pelo professor e utilizada como ferramenta de avaliação.

Esse é um tipo de interação bastante comum em ambientes digitais de educação a distância. Perceba que não há necessidade de os alunos combinarem um horário para se conectarem juntos — portanto, interação assíncrona. Uma vez postada a mensagem, ela pode ser lida e respondida a qualquer momento.

Fazendo a mistura com a sua turma

O mais bacana do uso da tecnologia na educação é que, se você unir um pouco de conhecimento com outro pouco de criatividade, você alcançará resultados impressionantes no que diz respeito ao engajamento dos alunos — só pelo fato de proporcionar uma atividade que foge da rotina, você já superará as expectativas.

A seguir, cinco sugestões de ferramentas fáceis de usar para você implementar o Blended Learning:

  1. nuvens como Google Drive e Dropbox para disponibilização de material didático digital;
  2. blogs como o WordPress e o Tumblr para publicação e compartilhamento das produções textuais de alunos;
  3. canal no YouTube para publicação e compartilhamento de produções audiovisuais;
  4. Padlet para criar pequenas coleções comentadas de materiais de diferentes formatos;
  5. e o Edmodo para criar um ambiente virtual para compartilhamento de materiais e discussão entre professores e alunos.

O Blended Learning é só um exemplo de como a mistura entre sala de aula e tecnologia é uma ferramenta promissora nas mãos de professores que queiram inovar. Quer conhecer mais misturas como essa? Então confira o nosso post sobre gamificação!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.