Recrutamento e Seleção na área de Educação

Uso de tablet e smartphone na educação: como institucionalizar esta prática?

0

O uso de tablet e smartphone na educação tem sido uma prática cada vez mais frequente entre os jovens. Parte central da revolução tecnológica que ocorre nas escolas, os dispositivos têm apresentado muitos recursos que favorecem o aprendizado, mas ainda geram muitas dúvidas entre os educadores.

Existe, afinal, uma maneira ideal de institucionalizar essa prática? Como evitar a apropriação dos dispositivos para finalidades que causem apenas a distração, sem trazer ganhos para a aprendizagem? Veja algumas dicas que podem ajudar a introduzir tecnologias móveis de maneira eficaz nas atividades da sua escola.

Conscientize professores sobre as vantagens

Muitos professores ainda rejeitam o uso de tablets e smartphones na sala de aula por não saberem lidar com os aparelhos ou por desconhecerem os recursos capazes de promover a melhoria do ensino.

Por isso, antes de qualquer inovação, é preciso que todos os atores envolvidos sejam inseridos e adaptados em uma nova cultura com senso de propósito. Esse estágio só pode ser alcançado por meio de treinamentos adequados que incentivem e estimulem a adesão consciente de práticas inovadoras.

Para ajudar nesse processo, a UNESCO organizou um guia online esclarecendo as vantagens em usar dispositivos móveis com propósitos educativos. Entre elas, destacam-se alguns pontos:

  • os custos de aquisição e manutenção de dispositivos móveis podem ser mais baixos que os custos de impressão de materiais didáticos tradicionais;
  • a interatividade entre as mídias facilita a integração social e a aprendizagem multidisciplinar;
  • a tecnologia viabiliza a assistência a alunos com necessidades educacionais especiais e a personalização do ensino;
  • a produtividade aumenta, tendo em vista que as novas gerações estão cada vez mais adaptadas a esse tipo de recurso;
  • o feedback se dá em tempo real, o que é bastante relevante para uma escola moderna.

Estimule o estudo com aplicativos gratuitos

Com professores devidamente capacitados na escola, é possível instruir os estudantes a fazer um uso mais produtivo do dispositivos móveis. Para garantir um estudo dirigido mesmo à distância, os professores podem encorajar a utilização de páginas e aplicativos gratuitos que estejam de acordo com os objetivos pedagógicos de cada momento.

Confira alguns exemplos eficientes e fáceis de usar:

  • Capture Notes: serve para escrever notas e fazer gravações que podem facilitar a gestão das dúvidas e estimular o apontamento de inferências.
  • Google Earth: por meio dele, é possível entrar em contato com diversos lugares do mundo sem sair do lugar. Trata-se de um excelente recurso para aulas de geografia e matemática no cálculo de escalas, por exemplo.
  • YouTube: é rico em videoaulas e outros conteúdos, sejam eles artísticos ou instrutivos. Pode ajudar a complementar aulas com variações de aplicações e estimular conexões mentais.
  • iCalendar: ideal para organizar datas de entrega de trabalhos, provas e outras atividades, estimula o senso de organização e gestão do tempo.
  • Dicionários: existem vários bons dicionários em páginas e aplicativos online. Eles proporcionam autonomia ao estudante para tirar dúvidas sobre ortografia e semântica, tanto do português quanto de outros idiomas.
  • Games: os jogos têm o poder de criar um envolvimento poderoso com o aluno, difícil de ser alcançado em tarefas tradicionais. Procure exemplos que possam ser associados a objetivos pedagógicos específicos.

Estabeleça regras claras de uso

Não há uma regra definida sobre a metodologia a ser adotada na implantação: é preciso estabelecer contratos pedagógicos precisos, cujos termos vão depender da idade e maturidade dos alunos em questão. Eles precisam estar cientes que a utilização dos dispositivos durante explicações não é permitida e que as instruções devem ser rigorosamente seguidas.

Lembre-se que um contrato pressupõe direitos e deveres de ambas as partes. Os educadores precisam reconhecer seus papéis no processo e as penalidades precisam ser bem definidas e devidamente cumpridas, garantindo que todos conduzam as atividades com a seriedade necessária.

Utilizar tablet e smartphone na educação ainda não é uma tarefa fácil no Brasil, mas com persistência, organização e investimento em recursos humanos as escolas estarão cada vez mais preparadas para lidar com as mudanças, que são inevitáveis. O segredo é nunca parar de pesquisar e se atualizar sobre tendências e práticas inovadoras.

Gostou do post e quer receber dicas como essas diretamente em seu e-mail? Assine a nossa newsletter e fique por dentro!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.