Recrutamento e Seleção na área de Educação

Obesidade infantil: a importância da boa alimentação na escola

0

A escola é parte do mundo da criança e, embora as orientações dos responsáveis sejam as mais importantes, o aprendizado no ambiente educacional deve complementar o que é aprendido em casa. Dentro desse contexto está o ensino da boa alimentação na escola que, além de ajudar na saúde infantil, ainda pode ser uma boa aliada da proposta pedagógica da instituição.

Quer entender a importância da boa alimentação na escola e como ela pode ser benéfica? Confira!

As cantinas escolares

As cantinas escolares estão no imaginário dos alunos, já que podem ter a fama de estarem recheadas de salgadinhos, refrigerantes e guloseimas. Isso já foi assim, mas felizmente tudo mudou.

Hoje a cantina é vista como um setor escolar que, assim como os demais, têm o dever de educar. Cantinas escolares que descuidam de sua missão educativa convertendo-se em meros locais de comércio têm sido apontadas por especialistas como sabotadores da educação alimentar das crianças e jovens.

Assim, as cantinas escolares devem operar dentro de diretrizes que eduquem e orientem, disponibilizando uma alimentação saudável para os alunos.  Além disso, também devem limitar ou excluir totalmente o acesso a comidas industrializadas, cheias de açúcares ou com gorduras em excesso.

A saúde física e emocional

A obesidade infantil não é resultante apenas da alimentação inadequada, mas de um conjunto de fatores que inclui destacadamente a saúde emocional da criança. Isso significa que a perda de saúde física da criança obesa vem acompanhada de perdas emocionais muito marcantes, pois podem levar ao isolamento do indivíduo.

A marginalização provocada pelo preconceito embutido nas brincadeiras traz consequências severas e que podem durar muito tempo. Para completar, a criança pode entrar num círculo vicioso em que a compensação dessas tristezas e frustrações aconteçam por meio da comida. O resultado é autoestima ainda mais baixa, isolamento mais evidente e alimentação cada vez mais compulsiva.

As escolas, junto com os pais, devem tomar para si a responsabilidade de quebrar esse processo vicioso. Mais que isso, devem trabalhar em apoio e suporte para que a criança consiga se reeducar em relação à sua alimentação e saia desse ciclo.

A alimentação e as atividades físicas

A dobradinha de alimentação saudável e atividade física é imbatível e vale para todas as idades. Deve ser incorporada no processo de formação da personalidade das crianças para que elas adotem esse estilo de vida naturalmente.

As escolas podem prover, em parceria com os pais, atividades físicas contínuas de natureza preventiva, assim como programas corretivos para as crianças com sobrepeso ou obesas. Esses programas devem ter continuidade em casa.

Do mesmo modo, a escola pode orientar os pais sobre a necessidade de uma alimentação saudável dentro do programa de reeducação física e alimentar.

A ajuda na proposta pedagógica

É possível e muito recomendável que a escola tome a iniciativa e, progressivamente, envolva os pais a partir de iniciativas internas. É possível incluir o tema de alimentação saudável na proposta pedagógica e trabalhar em um projeto amplo interdisciplinar. Veja algumas ideias:

  • concurso do lanche mais saudável: periodicamente, promova a seleção da lancheira mais saudável e premie a família que o preparou;
  • oficina de lanche saudável: aula prática de refeições saudáveis com as crianças;
  • jogo da comida saudável: após orientação nutricional adequada à idade, dê aos alunos cartelas com vários alimentos escritos e desenhados para montar o seu menu, vencendo quem montar a melhor refeição do dia.

A partir de atividades como essas, as diversas disciplinas procedem à sua própria abordagem como uma análise dos resultados obtidos no concurso, na oficina e no jogo.

Assim, o professor de português pode ampliar os nomes de frutas e verduras utilizadas nas práticas ou solicitar que façam um resumo escrito (redação) do que acharam dos pratos ou lanches vencedores.

Por sua vez, o professor de matemática pode utilizar o lanche vencedor e propor questões de quantidades de itens para um determinado número de pessoas para comer.  Em Geografia, é possível falar sobre a origem dos alimentos. A criatividade é o limite!

E então, entendeu a importância da alimentação na escola? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos? Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.