Recrutamento e Seleção na área de Educação

De que forma o autodesenvolvimento pode ajudar em minha carreira?

0

Autodesenvolvimento nada mais é que a capacidade de se desenvolver por conta própria, mas este conceito está embutido na própria palavra e não apresenta uma grande novidade. O que o termo não explica é qual a importância do autodesenvolvimento para a vida, principalmente profissional, e o que fazer para atingi-lo.

Com este post, pretendemos mostrar a você, profissional da educação, quais os caminhos possíveis para que se conhecer melhor e mostrar como utilizar este conhecimento de forma potencializada para alavancar sua carreira e proporcionar melhora à sua equipe. Preparado? Vamos lá!

Qual a relação entre autoconhecimento e autodesenvolvimento?

O autoconhecimento está intimamente ligado ao conceito de autodesenvolvimento, sendo o primeiro passo para alcançá-lo. Para que você possa desenvolver suas habilidades e trabalhar seus pontos falhos, visando a evolução profissional, é preciso antes tomar consciência de ambos.

Pelo processo de autoconhecimento, você consegue identificar quais as atividades que desempenha com melhor desenvoltura e prazer e em quais não se sai tão bem, ainda que com muito esforço.

Além de entender suas predisposições para determinadas atividades, um trabalho de autoconhecimento te permite identificar pontos fortes e fracos da personalidade: facilidade ou dificuldade de se comunicar, paciência ou impaciência, ansiedade ou tranquilidade, dentre outros.

Qual a relação entre autodesenvolvimento e inteligência emocional?

Desenvolver a inteligência emocional já é mais um passo para o autodesenvolvimento total. Ela consiste em tomar consciência de quanto e como suas emoções interferem em sua interação com o mundo. Mais do que isso, ao entender o poder que elas exercem sobre você, ela te mune de ferramentas para manter as emoções sob controle e passar por situações adversas e estressantes mantendo a calma e o raciocínio.

A inteligência emocional vai além e nos ajuda, por meio da empatia, a entender a motivação de atitudes alheias e exercer a persuasão sobre comportamentos, de uma forma positiva; é o tipo de comportamento básico que difere líderes de não-líderes. Saber como construir autonomia nos alunos, por exemplo, implica em, primeiramente, entender a motivação dos comportamentos deles, e isso só é possível pelo uso da empatia.

Quais as formas de promover o autodesenvolvimento?

O autodesenvolvimento, portanto, pode ser promovido por meio de análises comportamentais, por exemplo. Existem análises que conseguem identificar potencialidades do indivíduo com base em sua forma de agir.

É o caso do método de estudo desenvolvido com base em quatro tipos de comportamentos: Dominância (D), Influência (I), Estabilidade (S) e Conformidade (C) – DISC. A sigla representa a escrita dos fatores em inglês.

Os conceitos destes comportamentos foram apresentados pelo americano William Moulton Marston, PhD em psicologia pela Universidade de Harvard, em meados dos anos 20, no livro As Emoções das Pessoas Normais. Desde então foram criadas e trabalhadas diversas formas de aplicação deste conhecimento que hoje é praticado no mundo inteiro, de forma ampla.

Várias empresas que oferecem soluções de contratação de profissionais, qualificação e desenvolvimento de carreira utilizam métodos de análise embasados no DISC. Por meio de métodos como esse, elas conseguem identificar perfis mais eficiente para determinadas funções, como reconhecer as principais características de um profissional da educação.

Apesar de se tratar de um estudo de parte da personalidade individual (porque só avalia comportamentos, não considera características pessoais), uma devolutiva, ou seja, um feedback proveniente da aplicação do método tem o poder de nos fazer entender como nos comportamos e como podemos harmonizar nossa forma de agir à forma de agir do outro.

De que forma o autodesenvolvimento pode ajudar sua carreira?

A resposta a este questionamento, então, se torna clara! Um profissional que conhece suas emoções e reconhece as emoções alheias tem consciência da forma como essas emoções interferem no dia a dia profissional e, além disso, conhece o tipo de resposta comportamental que costuma ter de forma automática e possui todas as ferramentas necessárias para alavancar sua carreira profissional.

O autodesenvolvimento não implica em mudar uma parte de si, mas sim reforçar pontos positivos que já possui e minimizar os negativos. É dessa forma que o perfil profissional se torna claro e possibilita a uma ascensão na carreira bem mais rápida e eficiente!

Você conhece outros métodos eficientes de promoção do autodesenvolvimento? Compartilhe conosco deixando seu comentário!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.